Síndrome do túnel do carpo: conheça as causas e consequências

Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A síndrome do túnel do carpo provoca dormência, formigamento e é causada principalmente por lesões relacionadas a esforço repetitivo.

Síndrome do túnel do carpo é uma neuropatia resultante da compressão do nervo mediano no canal do carpo, estrutura anatômica que se localiza entre a mão e o antebraço. Através desse túnel rígido, além do nervo mediano, passam os tendões flexores que são revestidos pelo tecido sinovial. Qualquer situação que aumente a pressão dentro do canal provoca compressão do nervo mediano e a síndrome do túnel do carpo.

Causas da síndrome do túnel do carpo

A causa principal da síndrome do túnel do carpo é a L.E.R. (Lesão do Esforço Repetitivo) , gerada por movimentos repetitivos como digitar ou tocar instrumentos musicais. Existem também causas traumáticas (quedas e fraturas), inflamatórias (artrite reumatoide), hormonais e medicamentosas. Tumores também estão entre as possíveis causas da síndrome.

Sintomas

O principal sintoma é a parestesia, uma sensação de formigamento, de dormência, que se manifesta mais à noite e ocorre fundamentalmente na área de enervação do nervo mediano.

A evolução da síndrome dificulta manipular estruturas pequenas e executar tarefas simples como pregar um botão, enfiar uma agulha, segurar uma xícara.

Diagnóstico

Dois testes ajudam a estabelecer o diagnóstico: o teste de Phalen e o teste de Tinel.

O primeiro consiste em dobrar o punho e mantê-lo fletido durante um minuto. Como essa posição aumenta a pressão intracarpeana, se houver compressão do nervo, os sintomas pioram.

O teste de Tinel consiste em percutir o nervo mediano. Se ele estiver comprometido, a sensação será de choque e formigamento.

Em alguns casos, é necessário pedir uma eletroneuromiografia para fechar o diagnóstico.

Tratamento

O tratamento leva em conta o grau de comprometimento da doença. Se for leve, indica-se a colocação de uma órtese para imobilizar o pulso e o uso de antiinflamatório não-hormonal. Se não houver melhora, aplica-se cortisona dentro do canal do carpo.

Esgotadas as possibilidades de tratamento clínico, é indicada a cirurgia.

Recomendações

  • Tente evitar atividades que impliquem movimentos de flexo-extensão do punho;
  • Lembre-se de que alterações dos hormônios da tireoide e doenças como diabetes podem acarretar neuropatias compressivas. Procure o médico se tiver sensação de formigamento nas mãos;
  • Mulheres no climatério estão mais sujeitas à síndrome do túnel do carpo, por causa da queda na produção de estrógeno;
  • Sente-se corretamente e apóie braços e punhos quando usar o computador. Não se esqueça de que seu uso inadequado é um fator de risco para L.E.R. e a síndrome do túnel do carpo.

Fonte: Maria Helena Varella Bruna para o site do Dr. Dráuzio Varella

Você também vai gostar de:

Deixe um comentário

Selecionados Para Você

Enfoque analítico sobre túnel do carpo

Ocupando lugar de destaque nas estatísticas de doenças do trabalho registradas pela Previdência Social, por entidades de Saúde como Centros de Referências (Cerests), sindicatos e em pesquisas acadêmicas, as chamadas Lesões por Esforços Repetitivos/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (LER/DORT) seguem deixando uma legião de incapacitados e um rastro de dúvidas que vai da própria denominação de metodologias de diagnóstico relativas ao nexo causal com os ambientes laborais.

Leia o artigo completo

 
 

Flavonóides

Flavonóide é o nome dado a um grande grupo de fitoquimicos ou fitonutrientes, que são polifenóis de baixo peso molecular, encontrados em diversas plantas. É encontrado em várias frutas e vegetais em geral, assim como em alimentos processados como chá e vinho.

Leia o artigo completo

 
 

Fundamentos de Fisioterapia

O Fisioterapeuta foi considerado durante muito tempo como um técnico ou mesmo um auxiliar médico, completamente submisso a este. E por esse motivo poderia ter um currículo mais simples. Nos E.U. A estes profissionais eram denominados “auxiliares da reconstrução” e muitos foram treinados para irem para a guerra, prestar auxílio. Será essa a única competência do profissional em fisioterapia?

Leia o artigo completo

Últimos Posts

Inscreva-se na Newsletter

Não perca nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades e oportunidade fresquinhas direto no seu email.